Mayra Dias participa do 53º Festival de Parintins

Cerca de 100 mil pessoas participam do Festival. Evento é realizado até domingo, 1º de julho 

Por Andréa Garbim

Na noite da última sexta-feira, 29/6, a Miss Brasil Be Emotion 2018, Mayra Dias, participou da abertura do 53º Festival Folclórico de Parintins. A festa será realizada até domingo, 1º de julho, no Centro Cultural da Cidade, conhecido como Bumbódromo, e está recheada de temáticas como lendas, rituais indígenas, costumes ribeirinhos e festejos que cultuam os bois do Amazonas.

Considerada uma das maiores manifestações da cultura brasileira a céu aberto, com reconhecimento internacional, a tradição cultural teve origem em 1965, e desde então se repete todos os anos, no mês de junho. A edição deste ano tem um toque especial, que celebra os 30 anos do bumbódromo – a arena no formato de uma cabeça de boi estilizada, que abriga cerca de 35 mil pessoas.

O boi Caprichoso abriu a noite de ontem, seguido pelo Garantido. A Miss Mayra Dias, que participa do evento desde os 15 anos, falou um pouco da emoção: “Foi incrível fazer parte da abertura desse festival lindo, que todos precisam conhecer! Desde pequena sempre gostei muito do festival, assistia junto com meus pais e quando completei 15 anos, pedi uma viagem de presente para conhecer e desde então participo todos os anos do espetáculo. Sou apaixonada pela cultura do meu estado, e por essa cultura ser muito forte, o boi bumba faz parte da vida da vida de todos os amazonenses”, salienta Mayra.

A equipe do Miss Brasil Be Emotion está no local para acompanhar Mayra e registrar a sua participação e representatividade cultural – uma das mais fortes do interior do Amazonas. A ação também faz parte da estratégia do projeto de disputa ao título de Miss Universo 2018.

Os bois vermelho (@boigarantido) e azul (@boicaprichoso) se apresentam durante 3 dias com duração de 2h30 cada espetáculo. São 21 itens avaliados coletivos ou individuais. Hoje, dia 1 de julho, é o terceiro e último dia. O boi garantido ❤️ tem o tema “Auto de Resistência Cultural”. Já o boi caprichoso 💙 aposta na temática “Sabedoria Popular – Uma revolução ancestral. Vale destacar que para cada dia são alegorias, danças e fantasias diferentes. Até o envelope do tambor muda. É realmente incrível. E toda essa história vamos contar no nosso canal (link da bio) e levaremos com a nossa Miss Brasil Be Emotion @mayraadiias para o @missuniverse! #missbrasilbeemotion #missbrasilbeemotion2018 #parintins #parintins2018 #amazon #amazonia #missuniverse Fotos: Assessoria de Imprensa Parintins

A post shared by Miss Brasil BE Emotion (@missbrasilbeemotion) on

A Rivalidade

Desde 1966, a rivalidade entre o Boi Caprichoso e o Boi Garantido toma a cidade de Parintins e o estado do Amazonas. A disputa e as torcidas são tão grandes que se assemelham à rivalidade do futebol e do carnaval, no Brasil, por exemplo.

No início, a disputa era informal e rolava no centro da cidade. A coisa virou uma superprodução comparável aos desfiles das escolas de samba do Rio, de 1988, com a construção do bumbódromo, onde acontecem as apresentações. Nas três noites de disputa, o espetáculo chega a atrair cerca de 100 mil pessoas.

Com fantasias, músicas e alegorias, os bois encenam a lenda de Catirina, uma roceira que estava grávida e com desejo de comer língua de boi. Para satisfazê-la, seu marido, Negro Francisco, sacrifica o boi favorito do patrão, que ameaça matar o coitado. Quem salva tudo é um pajé, que ressuscita o chifrudo e garante um final feliz.

O primeiro boi a representar essa história foi o Garantido, fundado em 1913. Nove anos depois, em 1922, apareceu o boi Galante, renomeado como Caprichoso, em 1925. O Garantido, que usa o vermelho, é conhecido como “boi do povão”, por ser bem popular e manter o ritmo tradicional das músicas típicas. O Caprichoso, adepto do azul, é o “boi da elite” e tem canções mais aceleradas e modernas.

O último campeão foi o Boi Caprichoso. Ao todo, o boi azul Caprichoso tem 22 vitórias, enquanto o vermelho do Garantido tem 31 triunfos.

Texto com informações dos portais Mundo Estranho e Folha de S.Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *